Em Espanha cultivam-se mais de 200 variedades de azeitonas. Cada uma traz sabores e aromas únicos. Descubra as suas características de sabor e aroma e aprenda a reconhecê-las! 

Estas são apenas algumas das mais de 200 que são cultivadas em Espanha. Dispomos de um rico património que oferece imensas possibilidades na cozinha: Arbosana, Alfafara, Argudell, Arróniz, Bical, Callosina, Canetera, Carrasqueño de Alcaudete, Carrasqueño de la Sierra, Castellana, Changlot Real, Gordal de Hellín, Limoncillo, Llumeta, Lucio, Manzanilla de Hellín, Morrut, Ocal, Pajarero, Palomar, Pequeña de Casas Ibáñez, Pico Limón, Picual de Almería, Rojal de Tarragona, Royal de Calatayud, Vallesa, Vera, Verdial de Badajoz, Verdial de Cádiz, Verdial de Huévar, Villalonga…e muitas mais. Conheça-as!

Arbequina

ArbequinaArbequina

É a variedade característica da Catalunha (Tarragona e Lérida) e do Alto Aragão, embora o seu cultivo se tenha espalhado por praticamente todo o país. Tomo o seu nome da localidade Arbeca, em Lérida.

Dá um azeite muito fluido, doce e em que quase não há sabores amargos ou picantes. O seu azeite tem um aroma frutado de azeitonas, maçã, banana e amêndoa.

Cornicabra

CornicabraCornicabra

Este tipo de azeitona é a segunda variedade espanhola em termos de área cultivada. Encontra-se principalmente nas províncias de Toledo, Ciudad Real e Madrid, embora também se cultive nas províncias de Cáceres e Badajoz. O seu nome faz referência à forma curva do fruto, que lembra um corno de cabra.

Os seus azeites virgens são altamente aromáticos, com frutado de azeitona e outros frutos, de que se destaca a maçã. Em boca apreciam-se as notas herbáceas de folha de oliveira, com gosto ligeiramente amargo.
 

Picudo

PicudoPicudo

É uma das grandes variedades da Andaluzia, com presença significativa nas províncias de Córdova, Granada, Málaga e Jaen. Embora seu nome seja similar, é uma variedade claramente diferenciada da picual. Toma o nome do pronunciado pé que forma a extremidade do fruto.

Desta variedade obtêm-se azeites muito aromáticos. Caracteriza-se pelo seu sabor frutado verde com notas de maçã verde e folha de oliveira. 

Royal

RoyalRoyal

Trata-se de uma variedade nativa da província de Jaén, embora se limite o seu cultivo à zona das Serras do Norte da província. Dispõe de azeites que contrastam com os que se produzem da variedade predominante produzida na província, a picual. São azeites doces, embora muito frutados, em que as notas de figo predominam.

Lechín de Sevilla

Lechín de SevillaLechín de Sevilla

Esta é uma das variedades mais difundidas na Andaluzia, com uma forte presença na província de Sevilha, embora também seja cultivada em Córdova, Cádiz e Málaga. Os azeites virgens extra desta variedade destacam-se por um equilíbrio entre os tons verdes, pico e amargor. São azeites muito frutados.

Blanqueta

BlanquetaBlanqueta

Variedade levantina, o seu cultivo é particularmente importante na província de Alicante, mas também pode ser encontrada em Valência, Múrcia e Albacete. O seu nome vem do tom leitoso da sua azeitona. São azeites que se destacam pelo seu alto frutado, amargor importante e intenso picante.

Lechín de Grenade

Lechín de GrenadeLechín de Grenade

Além de Granada, esta variedade também é cultivada em Almeria, Albacete e Múrcia. Dela se obtêm virgens extra de um sabor doce característico.

Morisca

MoriscaMorisca

O cultivo desta variedade concentra-se principalmente no sul da província de Badajoz e norte da província de Sevilha. Dá azeites muito frutados e doces.

Hojiblanca

HojiblancaHojiblanca

A sua cultura estende-se essencialmente pelas províncias de Málaga, Córdova, Granada e Sevilha. O nome refere-se à cor branca das folhas. Esta variedade tem a particularidade de ser usada tanto para a produção de azeite, como para utilização como azeitona de mesa.

Caracteriza-se pelo seu sabor e aroma a erva recém-cortada, alcachofra e ervas aromáticas. A sua entrada em boca é doce com um leve amargor e um pico final muito localizado na boca.

Picual

PicualPicual

É a variedade mais abundante da Espanha e do mundo, existindo atualmente cerca de 900.000 hectares de superfície de produção no nosso país, que se encontram principalmente em Jaen, Córdova e Granada, embora o seu cultivo se tenha espalhado para outras áreas de produção, como Castilla-La Mancha. O nome refere-se à forma de pico que o fruto exibe.

O seu azeite é muito apreciado pela sua alta estabilidade (resistência à oxidação), o que lhe confere grande resistência às altas temperaturas na cozinha e é ideal para preservar os alimentos crus ou cozidos.

Sensorialmente, são azeites de grande personalidade, com muito corpo e com frutado de azeitona verde, apreciando no sabor a folha de oliveira, um leve pico e amargo.

Empeltre

EmpeltreEmpeltre

Uma das variedades que mais se expandiram pelo nosso país. Embora seja a típica de Aragão, também é cultivada nas Ilhas Baleares, Castellón, Tarragona e Navarra. O seu nome deriva da palavra catalã "empelt" com que se designam os enxertos.

Dá origem a azeites doces, de amargo e pico ligeiros, e de alto frutado, em que é claramente apreciado o sabor de maçã verde e amêndoa.

Sevillenca

SevillencaSevillenca

Variedade que concentra o seu cultivo nas províncias de Tarragona e Castellon. Uma azeitona que dá lugar a azeites virgens doces muito frutados, pouco amargos e com um picante apreciável. Prevalecem no seu sabor as notas de maçã verde e banana.

Aloreña

AloreñaAloreña

Variedade típica da província de Málaga. O seu azeite tem uma cor verde clara, com um aroma em que predominam as frutas verdes e a erva.

Farga

FargaFarga

Esta variedade é cultivada principalmente em Castellón, Tarragona e, em menor medida, em Lérida. Os seus extra virgens são caracterizados por um sabor intenso, com notas que lembram amêndoa e noz.

Manzanilla Cacereña

Manzanilla CacereñaManzanilla Cacereña

Variedade típica da Extremadura (cultivada tanto em Badajoz como em Cáceres), também se estendeu o seu cultivo para Salamanca, Ávila e Madrid. O seu azeite tem um equilíbrio entre picante, amargo e doce e tem um alto frutado verde reminiscente de erva recém-cortada, para além de frutado a maçã verde, legumes e tomate.

Verdial de Vélez-Málaga

Verdial de Vélez-MálagaVerdial de Vélez-Málaga

Como o próprio nome sugere, é uma variedade nativa da província de Málaga que oferece virgens extras macios, algo picantes e de frutado elevado. Destaca-se pelo seu sabor a fruta madura.